15 de set de 2010

Uma oposição socialista?


Talvez pudéssemos considerar algumas coisas positivas do governo petista de Uibaí. Por exemplo, do ponto de vista dos servidores e dos estudantes. Poucas vezes houve tanta participação dos servidores na política uibaiense e nunca os estudantes deram tão beneficiados pelo poder público municipal.

Ora, o interlocutor é um interlocutor do governo. Não há perseguição aos diretores e servidores que atuam no sindicato. As propostas que o SSPMU apresenta são discutidas pelo poder público e há diálogo, evidente entre a Secretaria de Educação e os professore do município na elaboração do Plano de Cargos e Carreira e Remuneração do magistério. Todavia, a contradição é uma marca da realidade. As negociações não levam a soluções rápidas e a demora é marca na hora de encaminhar as propostas do sindicato, como foi por exemplo o de liberação de dirigente sindical. O Plano de Cargos, Carreira e Remuneração ainda não foi aprovado e outras negociações não avançam.

O SSPMU não surgiu por causa do governo petista. Se o fosse, por quê Central, que também tem um prefeito do PT, ainda não o possui, enquanto Barra e João Dourado o tem, sem prefeituras do partido. O SSPMU é um resultado de um processo histórico de maturação da categoria dos servidores públicos. Sem falar que vários “seguidores” – alguns não merecem nem serem chamados de militantes – do partido saíram das atividades sindicais por considerá-las anti-petistas. Houve até mesmo uma chapa branca para a diretoria do sindicato que foi derrotada. Os servidores certamente não aplaudiram a atitude do prefeito de cortar o ponto dos salários dos contratados nos dias de recesso de São João, muito menos a ameaça de corte do ponto dos professores no dia da greve.

Quanto aos estudantes, vejamos alguns pontos que poderiam ser alegados como positivos. O início do pagamento do aluguel às residências estudantis em meados de 2010, uma reforma e alguns auxílios à CEU de Salvador, empenho na aprovação da lei de assistência estudantil elaborada pelo movimento estudantil e apresentada sem modificações pelo Executivo petista à Câmara municipal.

Porém, é preciso considerar que o auxílio às casas dos estudantes ainda é insuficiente. Enquanto outras prefeituras pagam aluguel, água, luz e alimentação para seus estudantes, a de Uibaí, com sua avançada legislação, não consegue ir além do aluguel – quando vai. Naturalmente, os estudantes uibaienses são os únicos da região em que suas residências estudantis se sustentam sem auxílio das prefeituras. E a lei de assistência estudantil, que em nosso município pretende ser uma política publica e não um ato assistencialista eleitoral é resultado de quase quatro décadas de organização estudantil. Ela vem da pressão exercida pela sociedade local pela reivindicação de financiamento público das casas dos estudantes, pressão que há antes do PT existir. Até mesmo o ex-prefeito Raul Machado, com suas posturas anti-populares e anti-democráticas, viu-se obrigado a aprovar uma lei de assistência estudantil após negar-se a fazer uma política séria. Além disso, vale a pena mencionar o boicote de parte da Comissão Organizadora da IX Semana de Arte e Cultura à barraca da Aeusu, em virtude de críticas de um estudante à organização do evento, mesmo que não tenham sido feitas em nome da entidade ou do movimento. Boicote que foi uma forma de a Comissão Organizadora, em sua maioria pró-governo petista, punir as críticas.

Desse modo, cremos que os avanços dos servidores e dos estudantes não podem ser atribuídos ao governo municipal. São conquistas da luta popular. A única coisa que pode se dizer do governo atual é que ele não faz retrocesso histórico, como os anteriores que fizeram uma verdadeira involução no município. A sua vantagem é, portanto, manter as coisas no lugar em que estão.

Um comentário:

  1. Há um ponto positivo, que também estar na lei de assistência estudantil, que não foi citado no texto.
    Nós estudantes universitários que estudamos em Irecê, não podemos deixar de citar uma grande conquista, que também foi fruto dos movimentos estudantis que houve em Uibaí, estou falando do transporte escolar que agora a prefeitura paga pra quem estuda nos três turnos em Irecê.Foi uma grande conquista!

    ResponderExcluir