3 de abr de 2011

SERVIDORES MUNICIPAIS DE UIBAÍ e seu sindicato se reune e ja se fala em greve




OS SERVIDORES DE UIBAÍ SE REUNIRAM ONTEM EM DOIS MOMENTOS, pela manhã a categoria de professores sentou com João Borges ( secretário de educação) na antiga CNEC onde foi discutido o PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS que continua emperrado assim como sobre a "melhoria dos salários" ja que o de Uibaí é um dos piores da região de irecê. O prefeito era pra estar presente, mas desistiu na última hora. Já o vereador e presidente da Câmara Davi Garcia esteve presente e se prontificou em apoiar os professores no sentido de se aprovar o mais rápido possível o plano de carreira da categoria.

Foi tirada uma comissão de 5 pessoas que além de rever o plano q foi elaborado por trabalhadores, sindicato e membros da secretaria de educação proporá e exigirá do executivo que agilize o processo. Ficou também de se marcar outra reunião pra avalair o andamento do processo e pra se articular acerca das reivindicações mais prementes da categoria.

Á TARDE JA NA CAMARA DE VEREADORES O SINDICATO SE REUNIU com o pessoal ligado a área de SAÚDE, a categoria demonstra forte insatisfação devido a vários fatores como salários defasados, falta de pagamento da insalubridade, autoritarismo de "superiores" e junto ao sindicato propôs um INDICATIVO DE GREVE ainda pra este mês.

Na reunião se discutiu também a estratégia de como preparar uma possivel GREVE que por um lado una os servidores de forma geral, receba o reconhecimento da população e esteja dentro dos tramites burocráticos.

Um comentário:

  1. Pero Rocha precisa ser pressionado de forma mais incisiva pelo movimento sindical. A declaração dele na semana pedagógica de que "trabalhador não precisa se preocupar com salário, mas com serviço bem feito", algo nesse sentido, foi terrível, desrespeitoso e demonstra que ele é um patrão interessado em gerir a administração pública para beneficiar os de sempre: uma dúzia de amigos que são favorecidos pelas licitações, duas dúzias de amigos e parentes com cargos e contratos e infraestrutura para garantir a perpetuação da exploração do trabalho pelo capital em suas mais diversas e perversas formas. Porém, uma greve precisa ser bem preparada e precisa ter apoio da população. A luta só avança se for capaz de politizar a categoria dos professores-servidores e a classe trabalhadora em geral, além de garantir a mobilização para arrancar os direitos dos trabalhadores. O sindicato está de parabens!

    ResponderExcluir